Papo pré mudança

Como você já sabe, estamos prestes a nos mudar de país novamente. Em exatos 4 meses, embarcaremos numa nova aventura, rumo a terras ainda mais distantes e ainda mais estrangeiras. Como você também já deve saber, eu nutro mixed felings sobre esta mudança. Vou da satisfação ao pânico em meio segundo, haha!

Nosso destino é Seul, e até agora, isso é tudo que sabemos.

Ainda não temos casa, ainda não compramos passagens, as crianças ainda não estão matriculadas na escola, ainda não sabemos o que vamos levar, o que vamos vender, nem o que vamos doar. Ainda não sabemos muito sobre o lugar também, até porque, Seul não estava sequer em minha lista de lugares no mundo para conhecer, imagina para morar! Sei quase nada sobre o país, sobre a cidade. Sei muito pouco sobre a cultura, sobre o clima (sei que no inverno é frio pra cacilda).

Tudo o que sei, li ou em blogs de expatriados ou em matérias compartilhadas na Comunidade de Brasileiros na Coréia, no Facebook.

Noutro dia, ao ler sobre a programação de primavera por aquelas bandas, me animei. Fotos tão lindas de lugares incríveis! Pensei: “eh, acho que vai ser bem legal morar num lugar tão diferente por uns anos…”.

Recentemente, uma reportagem mostrando uma coreana que endoidou e literalmente despejou uma mala de dinheiro no meio da rua, me surpreendeu, porque ninguém, eu disse: NINGUÉM! parou para se apropriar de uma notinha sequer. Sem essa do famoso “achado não é roubado, quem perdeu foi relaxado”. Na Coréia é preto no branco: se não é meu, é de outra pessoa. Me encantei mais uma vez.

Quase tudo o que eu leio sobre a comida é bem animador também. Digo quase tudo, porque não tem como eu gostar de alguns hábitos locais como comer carne de cachorro, polvo vivo, escorpião e tal…  Tirando essas bizarrices, aparentemente, coreanos tem uma dieta super saudável, super balanceada. Outro ponto a favor.

Mas, como toda rosa tem espinhos, li hoje uma matéria que mostrava um cenário assustador: uma nuvem de poeira amarela, que encobria a cidade. A pessoa que compartilhou a matéria ainda alertava: “Nesses dias de primavera, o vento sopra e traz muita poluição. Quando possível, usem máscaras e evitem exercícios físicos ao ar livre.”

A tal da poeira amarela vem das regiões desérticas da China e Mongólia. E o que a princípio são apenas finas partículas de areia, cruza o continente absorvendo, pelo caminho, toda a poluição produzida pelas fábricas. Olhos, garganta, nariz, e boca ficam irritados e qualquer problema respiratória é agravado. A coisa é tão braba, que danifica até os equipamentos eletrônicos mais sensíveis.

Gente, gelei. Todas as 357 coisas boas que já li sobre a vida na Coréia e também as ótimas referências de amigos/conhecidos que moram/já moraram lá, tudo, tudinho começou a desmoronar, a descer pelo ralo. Cheguei a sentir falta de ar, juro! Imediatamente pensei na asma/bronquite alérgica do Vivi. Tô vendo que vamos precisar incluir na bagagem um nebulizador para os alérgicos de plantão.

O caso é tão grave, que existe no mercado uma série de máscaras (yellow dust mask), em vários tamanhos, formatos e graus de filtragem, para que a população possa se proteger, tá bom pra você?

Bom, o que não tem remédio, remediado está, não é mesmo? Vamo que vamo porque, apesar do meu desespero, o saldo ainda tá bem positivo 😉

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s