O apê, o cara do gás e o primeiro dia inteiro dos moleques na escola

Hoje levamos as crianças pro colégio pela manhã, o marido seguiu de lá pro trabalho e eu voltei pra casa – sim, para a casa que ainda não tem internet.

Passei o dia trabalhando, usando a internet precária do meu celular, sem saber que o melhor ainda estava por vir: O cara do gás!

Tocou o interfone e lá fui eu attender. Já contei que não falo espanhol, menos ainda catalão? Quando muito entendo espanhol, mas na hora de responder, nem portunhol sai direito, hahah

Pois bem, a visita do cara do gás, me fez lembrar da minha primeira semana nos EUA, lá nos idos de 2004, quando nos mudamos de mala e cuia. Lembrei de quando eu, que estava sozinha em casa, tive que receber o entregador/montador da cama. Gastei todo meu inglês com ele em 2 minutos. E assim aconteceu também hoje com o cara do gás. Só que meu portunhol durou ainda menos, porque ele desandou a falar em catalão na velocidade da luz. Juntei todas as palavras que consegui pra contar pra ele que nem espanhol eu falava. Que entendia, mas não falava. Aí mesmo é que ele quis conversar (você não dominar uma lingua definitivamente atrai conversa). Ele passou uns bons 40 minutos aqui, mexendo no aquecedor e fazendo uma sujeira de dar pânico – a cozinha ficou tomada por um pozinho fino e preto que parecia pó de carvão. Ai que raiva me deu, ter que limpar aquela bagunça! Para piorar, eu, em vez de trabalhar, tive que fazer sala, porque o cara não parava de falar. Quando não era me pedindo alguma coisa – usando de boa mímica, claro – era jogando conversa fora. Conversa que pra ele não exige esforço, mas pra mim, exige que eu pare de trabalhar e preste firme atenção , para entender e conseguir responder as perguntas ou comentar o assunto. (Giselle, cadê você, numa hora dessas???rsrsr)

Detalhe besta: o cara foi chamado lá pra resolver um caninho de um dos aquecedores da casa, de onde estava pingando uma aguinha, mas como o papo devia estar muito bom, ele resolveu checar o boiler também, mesmo sem ninguém ter pedido.

Pelo visto, tiramos a sorte grande com este aluguel #sóquenão. Onde já se viu, cliente airbnb ficar responsável por receber um prestador de serviços?

No final da longa visita, ele me apresentou a conta – Oi? –  Mas logo esclareceu que eu não precisava pagar, já que eu era moradora temporária. Bastava entregar a conta pro dono.

Oh vida…

Também, reclamar do que, né? Se há alguém que tem motivos de sobra pra reclamar são os meninos, que hoje passaram o dia inteiro na escola.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s