Eu dei um empurrãozinho e ele foi :)

Se você leu meu post em homenagem aos nossos 10 anos de casados, precisa ler este aqui.

Mauricinho responde à altura e me faz borrar o rímel logo de manhã 🙂

Com vocês: A revanche de Mauricio – by Mauricio Palmeira, of course 😉

E lá se vão mais de 10 anos desde que ela disse sim ao meu “e se?”

O “se” era só um plano dentre muitos outros num momento de muitas dúvidas profissionais, mas uma grande certeza no coração. O “se” acabou acontecendo e lá fomos nós começar oficialmente nossa vida a dois. Bem a dois mesmo. Beeeeem a dois. Num pequeno apartamento, numa pequena cidade, perto de lugar nenhum.

De lá pra uma casinha maior, o primeiro filho, muitos invernos e finalmente um novo país. Menos invernos, mais verões, praia, novo filho e sempre agradecendo à sorte, ao destino, a Deus, ou a nossa amiga em comum, por aquele encontro fortuito há 12 anos.

E não teria como não dar certo. Somos muito parecidos.

Ela gosta de praia. Eu morava perto da praia.

Ela escreve bem. Eu também. Minha mãe que disse.

Eu faço piada. Ela ri.

Ela faz piada. Eu rio.

Mas crianças não vêem graça em nenhum de nós.

Ela adora ver filmes. Eu adoro dormir vendo filmes.

Eu danço bobamente quando só ela está perto. Ela cria coreografias.

Eu gosto de tocar violão pra ela. Ela faz de conta que eu sei cantar.

Ela gosta de sol e calor. Eu também.

Ela adora a Apple. Eu como duas apples por dia.

Tempo frio e cinzento me dá vontade de mudar de país. Ela já está com as malas na porta.

Eu moraria em Barcelona. Ela já escolheu o bairro.

Eu não leio nas entrelinhas. Ela não escreve nas entrelinhas.

Ela prefere não planejar o futuro. Eu prefiro viver o presente.

Mas não dá pra ser sempre igual, então às vezes somos diferentes, porque assim nos completamos.

Ela adora doce. Eu deixo ela comer meu chocolate.

Eu prefiro salgado. Ela deixa eu comer sua pizza.

Eu jogo com as crianças. Ela desenha com as crianças.

Eu paro tudo aos 80%. Ela completa os outros 20.

Eu jogo as crianças pra cima e pros lados. Ela os levanta sempre que eles estão por baixo.

Eu conto a história usando a primeira folha do caderno. Ela completa o caderno com detalhes e fotos.

Ela quer o melhor pra mim. E eu, o melhor pra ela.

4 Comments

  1. Ainda não sei se quis chorar muito ou rir muito! Delícia de texto! E confesso que acabei de ler e quis ler mais dez vezes. Tanto o ‘texto empurrãozinho’, quanto essa primorosa reação a ele. A mãe do Maurício tinha toda razão, vocês arrasam com a pena na mão! (Ops, ñ era pra rimar, sorry os ouvidos). Parabéns por todos os belos passos a dois, depois em trio e agora em quarteto. Desejamos muitas décadas para vocês curtirem todas as divinas semelhanças e diferenças. Beijocas nossas de cá, Ju, Gustavo e Gael.

    Curtir

    Responder

    1. Ô Ju, sempre fico feliz de te ver por aqui 🙂
      Você sim é que deveria ter um blog, seus contos são sempre tão cheios de emoção! Um desperdício… Espero que esteja arquivando todas as “newsletters” que escreve sobre o pequeno, porque tenho certeza que ele vai se emocionar ao ler cada uma delas daqui uns anos 🙂

      Curtir

      Responder

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s