Quente como todos os dias deveriam ser

Hoje foi um dia de comilança.

Acordamos e fomos encontrar com uma amiga do Mauricio, lá da Monash, que estava aqui visitando por uns dias. Fomos até seu hotel, que ficava super bem localizado, pertinhos de Las Ramblas, bem em frente ao Palau Guell. O dia começou bem, né?

Em seguida saimos, caminhando pela estrada afora, errando caminhos pelo Barri Gotico, até finalmente encontrarmos o Alsur, um café maravilhoso, numa praça deliciosa, onde músicos se revezam tocando o dia inteiro (haja gorgeta, rs). Um dos melhores hot chocolates (Spanish style) que eu já tomei na vida. O brunch lá é alegria certa!

Alimentados e felizes, seguimos nosso passeio pelo bairro mais fedorento e charmoso de BCN :). No meio do caminho, entramos em uma das infinitas igrejas e lá, benzi o Nick cum umas gotinhas de água benta, pra ver se o bichinho acalma – tô tentando de tudo, gente! Doida pra encontrar uma rezadeira,rs – e olha, coincidencia ou não, sabe que ele se comportou muito bem hoje? Super estranho!

A próxima parada foi o Parc de la Ciutadella (sim, lá onde quase nos levaram o iPhone, rs). O dia estava tão lindo, que deixou o parque ainda mais gostoso e encantador, entretanto, como o sol estava a pino, precisamos nos refugiar às sombras, até porque a amiga russa (ou ucraniana?) não aguenta uma lua tão forte assim.

Anyways, saimos de lá e fomos andando em direção à praia (não que tivéssemos planejado ou estivéssemos preparados pra isso), onde despimos os farofinhas e deixamos que eles curtissem um pouco o mar e o sol… e a areia (ô farofada!). Me senti a gringa, de roupa na praia. Se bem que as gringas de verdade estavam lá, sob todas as formas e idades, de topless (que bom que o Vivi não perguntou, nem me fez passar vergonha com suas reações de criança sincera, rs – ele tinha mais o que fazer!, rs).

O dia estava muito gostoso, o sol quentinho, o céu azulzíssimo. Todos os dias deveriam ser assim – pra que variar?

As horas passaram a jato e a fome chegou com tudo. Pegamos o metro (porque ninguem merece caminhar com fome, rs) e voltamos ao nosso charmoso Barrio de Gracia. E foi lá que descobrimos mais um Mexicano porreta. Comida nota 10, serviço nota 11, ambiência nota 12 🙂

Mas como nem tudo são flores, adivinhem? Nickito decidiu ir ao banheiro sozinho e ficou tran-ca-do lá dentro – no escuro!

O desespero, obviamente, tomou conta desta mãe desesperada. Chamamos o garçon, que prontamente, além de tentar acalmar o Nick (que àquela altura estava descomtrolado e em prantos dentro do cubículo) e pedir que ele saísse de trás da porta, arrombou a mesma e salvou o dia! E nós, demos o prejuízo de uma tranca ao restaurante, rs

Que dia!

No caminho de volta pra casa, descobrimos uma birosquinha brasileira, o bar da Dulce (ou algo que o valha), onde paramos pra tomas caldo de cana(!!!!), apresentar nossa amiga Russa (ou ucraniana?) à caipirinha e comer (é você leu certo) coxinha e pastel. Gula, eu sei, mas foi mais forte que eu.

Bom, valeu ter matado a vontade dessas preciosidades da culinária popular brasileira, mas o preço, vou te contar… salgado, heim! Anyways… coisa de turista 😛

Quase chegando em casa, paramos num dos parquinhos do Passeig de San Joan, onde Vivi, de pronto, fez um amigo e num piscar de olhos já estava andando de scooter pelo pesseio. Sinceramente, não sei como, depois de andar um dia in-tei-ro, o danadinho consegue ter energia  pra correr, pular, brincar?

E assim nosso dia chegou ao fim. Mas não se preocupem, amanhã tem mais 😉

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s