genioso é apelido carinhoso


Nosso ex-baby Nick está se mostrando cada vez mais genioso. Experimenta não fazer as vontades dele, tenta dizer que “agora não”… o escândalo é tão grande que mais parece que ele está sendo torturado.Uma gritaria sem fim (o pequeno é de um fôlego invejável!).

Quando estamos em casa é mais fácil e um pouco menos estressante lidar com os ataques do anjinho, mas e quando estamos na rua, no shopping, no mercado? Aí, minha gente, é um Deus nos acuda, porque o bichinho sabe que ele tem a vantagem do local público, ele sabe que meus recursos ficam escassos e que eu não tenho o “naughty spot”, o cantinho de pensar, onde ele fica por 2 minutos (?) até se acalmar.

Este fim de semana, fomos, em família, ao shopping para renovar o guarda-roupa do marido e já na entrada, nosso pequeno mostrou sua face encrenqueira. Bateu o pé porque queria brincar no carrinho (aquele que a gente põe moedinhas, sabem?) e, como eu disse que “agora não”, ele entrou em desespero, começou a gritar um grito que atraía não só olhares, mas principalmente julgamentos – e nessas horas, a minha vontade é de mandar os juízes de plantão pra um lugar bem feio e bem longe, mas não faço porque minha educação é muito maior do que a deles.

Anyway, passamos quase uma meia hora tentando negociar o inegociável – porque tem sempre que ser do jeito dele, na hora que ele quer. Não há negociação. Eu tentava conversar e ele me puxava pra onde queria ir. Eu dava tchau e saía de perto, me escondia atrás de uma planta, ou virava a esquina em uma loja e ficava de olho. Ele gritava ainda mais alto, daquele jeito agudo que só os molequinhos pirracentos sabem fazer.

Juro, nunca, nunquinha fui dessas crianças que dão ataque na rua. Nem eu, nem minha irmã, nem meus marido, nem o irmão, nem a irmã dele. Entretanto, parece que fomos premiados, porque o Vini, dos 12 aos 24 meses era uma praguinha daquelas que torna impossível sair pra almoçar (ou mesmo ir à padaria comprar pão). E o Nick, apesar de ser bonzinho grande parte do tempo, quando decide que vai aporrinhar, sai de baixo, porque ele é mestre na arte de apoquentar o juízo. Mestre não, doutor!

E aí? Será o famoso “terrible twos”? Se for, tá um pouco atrasado, né? O bichinho faz três anos em pouco mais de 2 meses…

O jeito é esperar pra ver se passa e enquanto isso aguentar a fúria do menininho mais fofo do universo. Nick, o paradoxo em forma de gente pequena.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s