A primeira festa em dupla a gente nunca esquece

Foi um parto. Do tema ao local da festa, do bolo aos docinhos, das lembrancinhas aos tecidos pros paineis e mesas. Tudo um grande parto.

Escolhe tema, começa a fazer a decoração, o chefinho decide mudar o tema, apaga tudo e começa novamente. Como se não bastasse mudar o tema, mini boss resolveu dar palpite nos personagens que a mamãe aqui estava desenhando. Aliás, não só nos personagens, mas na configuração, nas cores, até na fonte, acreditam? Pois é, o pior é que eu nem posso reclamar, porque minha fama corre solta e o bichinho tem a que puxar.

Este ano foi tudo by Eriquinha: bolo, cupcake, brigadeiro, beijinho e tudo mais de comer e decorar. Claro que na reta final, às vésperas do evento, fiquei doente – estafa, menina! – e no dia anterior tive que contar com a ajuda do maridex na confecção dos sanduichinhos e enroladinhos de salsicha. Tá, maldade dizer que ele só ajudou nisso… Mandei o bichinho ao mercado sei lá quantas vezes e ainda coloquei o pobre pra cortar banner de Happy Birthday enquanto eu confeccionava a caixa do bolo.

Fora isso, graças aos meus amigos do tipo “pau pra toda obra”, Fla, Lu, Tati (amiga da Fla que estava aqui na Austrália a passeio e acabou entrando na dança, coitada), Vicente, Ana e Renan, tudo deu certo e muito embora eu tenha quase perdido as estribeiras quando às 13:45 os convidados começaram a chegar (a festa estava marcada pra começar às 14:00), conseguimos colocar o circo de pé em tempo :). Mais uma vez, obrigada, meus amigos do coração!

Enfim, entre mortos e feridos salvaram-se todos e a festa fluiu conforme esperado. Um furo aqui, outro ali, mas no overall, foi um sucesso. A criançada se divertiu e ao fim do dia, a sensação de dever cumprido pagou cada gota de suor derramado.

Agora, gente, outra festa só ano que vem! Ou no Natal…

Bora mostrar as fotos que falam por si só.

Aquela coisa, né, gente? Tudo totalmente personalizado 🙂 - nem adianta procurar no etsy, porque este você só encontra aqui, rsrsr. Repararam no center piece? Esse ano, ao invés do bolo decorado, fiz uma caixa decorada, que tal? O bolo gelado vai dentro. A criançada come o bolo e a gente fica com a caixa 😉

refresco self-service, sanduichinhos, frutas, queijos, fries e pastinhas - bem diferente do menú gordelícia brasileiro, né?

Claro que eu nao comprei aquela fantasia feiosa do Mario, né? Comprei boné vermelho e customizei a letrinha V em feltro branco. O macacão levou os fake botões amarelos de borracha e em conjunto com a blusa vermelha e o bigode que fiz de feltro, o Mario estava pronto 🙂

A princípio ele ia ser o Luigi, mas achei que combinava mais com o fofo do Yoshi, daí foi só fazer os olhões e nariz pro boné e pronto, lá foi o Yoshi pra festa 🙂

Parabéns pra dois e muita farra. Meus dois molecotes se esbaldaram - especialmente o Vivi, que estava se achando o próprio Mario 😉

Ai, gente, cansei. É por essas e outras que meu pro meu aniversário não vou fazer nem um mísero bolo, porque se eu bem me conheço, o bolo leva ao brigadeiro, que leva ao beijinho, que leva ao cupcake, que leva às comidinhas salgadas, que levam à criação de um evento, que leva à elaboração de decoração, que leva a uma Erica exausta e descabelada no dia do própiro aniversário. Então anota aí, no meu aniversário quero salão e spa, pra me recuperar dos eventos setembrinos e outubrinos e me preparar pros eventos natalinos 🙂

Ah, já contei? Daqui a 9 dias a gente embarca pras nossas férias em Phuket. Adivinha quantas fotos a gente vai tirar? 🙂

Vivi e seus 5 aninhos

Gente, aguenta coração! Hoje entrei numa de rever fotos de quando meu Vivisauro tinha apenas um aninho e, nossa, que aperto no coração. Vi um filminho passando em frente aos meus olhos. Um filminho da evolução do meu primogênito. Desde a gravidez até vê-lo se transformando pouco-a-pouco nessa figurinha rara, cheia de personalidade que ele é.

Nesse filminho projetado pelas minhas lembranças, vi o baby Bo pequeninho, ouvi as músicas que a gente inventava pra ele, ouvi também suas gritarias e pirraças de um terrible two que começou bem precocemente. Vi meu pequeno deixar de ser aquele bebezinho parrudinho e emburrado pra se tornar um molequinho magrelinho compridinho e cheio de graça. Nossa, como pode haver tantas mudanças em apenas 5 anos?

Olha, não há dúvida de que minha vida mudou da água por vinho desde que eu me tornei mãe – especialmente por morarmos fora do Brasil e por eu ter decidido prolongar minha, digamos assim, licença maternidade. Mas quando eu olho pra trás não consigo sentir um pingo de arrependimento e muito embora eu hoje esteja meio (ou completamente?) perdida profissionalmente, acreditem: eu faria tudo novamente, igualzinho! Se bem que não, talvez eu não tivesse mandado o Vivi pra creche tão cedo.

Anyway, hoje, meu primeiro meninote tem 5 anos de vida. É um molequinho lindo, cheio de saúde e muito feliz, uma comédia ambulante. Cheio de caras e bocas, Vivizinho é, como eu sempre digo, um artista nato. Vive inventando moda, super criativo e engraçado. Não pode ver uma câmera fotográfica (que expressão antiga, eu heim!), uma filmadora, ou mesmo um iPhone e inicia suas poses e palhaçadas. Adora cantar, dançar, correr e dramatizar (sua vida é um palco). Cheio de energia, só não entendo como pode “não aguentar” pedalar um quarteirão sem reclamar “minhas pernas estão doendo muuuuuito”. Adora uma piscina e acha que sabe nadar, mas ainda é principiante nas artes aquáticas. Na creche, sempre ouço as  teachers contando sobre como o Vivi é engraçado e “loud”! – é, o botãozinho de volume dessa criaturinha quebrou enquanto estava no máximo e nunca mais voltou pro lugar. E apesar de falar tão alto e ser meio abrutalhado, esse meu molequinho é incapaz de arrumar briga no parquinho, ou enfrentar um coleguinha mais abusado – o Vivi é na verdade very soft, extremely kind e tão carinhoso que chega a ser grudento. Sem falar que é pura emoção, chora a toa e se magoa com muita facilidade. Típica personalidade de artista – muito sensível.

Ontem, foi o dia dele. Levamos ao cinema e à loja de brinquedos. Almoçou no McDonald’s (no dia do aniversário pode, né?) e teve bolo de aniversário com velinha número 5 e parabéns no fim do dia.

Tá, a festa de aniversário  mesmo (em conjunto com o irmão) só vai rolar no outro final de semana, mas acho que dá pra deixar aqui um gostinho de como foi seu dia, que segundo o próprio, foi “o melhor birthday da vida dele” rsrsrrr. Então vamos às fotos.

Vai gostar de fazer pose assim lá em casa 🙂

Claro que o Mario e o Luigi não poderiam ficar de fora do parabéns 🙂

Feliz Aniversário pro molequinho mais figura do mundo inteiro! 🙂

E, claro, aguardem, porque ainda tem mais parabéns vindo por aí 😉

os 35 do Mauricinho

É, minha gente, o tempo passa, o tempo voa e o Mauricinho continua numa boa 🙂

São trinta e cinco – não é pouca coisa, não. Lembro do tempo que “tio Sukita”pra mim, era uma cara de 32 – meodeos! Mas é como dizem por aí, né? Os 35 são os novos 25 🙂 – É nisso que a gente quer acreditar, rsrsr E, longe de mim dizer que meu maridex está velhinho, afinal, em menos de dois meses serei eu a apagar o incêndio em cima do bolo.

Quando conheci o Mauricinho ele tinha 24 – tão novinho, meu Deus – e hoje, mais de dez anos depois, me pego revendo as fotos lá do início, vendo como a gente mudou (e não estou falando só das rugas não, rsrsr). Éramos crianças, apesar de termos certeza que éramos adultos. Se bem que… pra falar a verdade, acho que sempre prezamos muito nosso lado moleque. Até hoje, mesmo nos 30 e tal, com dois filhos e vida de gente grande, a gente se pega dançando e cantando na cozinha enquanto prepara o brunch de sábado. Se isso não é ser feliz, não sei mais o que é 🙂 E é isso que importa, minha gente!

O tempo passa pra todo mundo e na mesma velocidade, mas felizes de verdade só aqueles que sabem aproveitar a caminhada, que não esperam alcançar isso ou aquilo pra então curtir a vida. Feliz é quem sabe que são os pequenos momentos de alegria que constroem uma essência feliz.

Feliz é o meu marido,que aos 35, tem dois filhos lindos e saudáveis, o emprego que pediu a Deus, uma esposa que o ama, e ainda na véspera de completar mais uma primavera recebe um prêmio de respeito da Universidade: 2012 Dean’s Award for Excellence in Research by an Early Career Researcher. Não é pouca porcaria não, heim! 🙂

Enfim, como o dia estava lindo e ele tem um trabalhinho supimpa, não foi trabalhar. Preparei um brunch especial de aniversário e partimos pra uma voltinha na praia pra curtir o tempinho gostoso. Too bad que Melbourne não é como o Rio e a praia de Mordialloc não chega aos pés da de Ipanema, mas ainda assim foi gostoso.

O detalhe é que voltamos pra casa e, ao ver um email, lembrou: “putz, tenho uma reunião de departamento daqui a duas horas!”. Foi só o tempo de tomar banho, trocar de roupa e partir, levando todas as chaves da casa e nos deixando a ver o belo dia pela janela. Pra piorar?? Ha! Ele chega lá e vê que a reunião não era naquele dia – o email era apenas um reminder. Fala a verdade, é a cara do Maurcio fazer isso, né não? 🙂

Enfim, apesar do corpinho e o rostinho estarem nos trinques, a idade começa a dar as caras sob outras formas, rsrsrs

Mas deixa quieto e vamos às fotos, porque além da folga na quinta, com brunch, praia e dia bonito, tivemos também um petit comite no sábado à noite pra comemorar suas 35 primaveras 🙂

Dia lindo de sol quentinho pra celebrar o dia do melhor maridinho do mundo todo!

Teve brigadeiro e beijinho de copinho. Teve também queijadinha sem queijo da tia Ana e bolo (que não deu certo mas ficou bem na foto) com vela. Ah, teve também decoração personalizada pro aniversariante 🙂 Tá pensando o que?

trintaecinco! Mas com corpitcho de 25 😉

A famosa foto do sofá - fim de festa tem que ter 😉