sobre o bebezuco

(post escrito dia 12 de julho de 2011)

Bebezuco vai bem e apesar das turbulentas gripes que pega uma atrás da outra, tá esperto que só. Nunca foi e nunca será, imagino, chegado a engatinhar, mas a necessidade – leia-se a falta de móveis pra se apoiar – o faz desbravar territórios de quatro. Sua preferência é, sem dúvida alguma, se locomover como bípede, mas tem horas que por falta de apoio, precisa encarar seus próprios quatro apoios e ir em frente: isso acontece muito quando eu o deixo no quarto e vou dar um pulinho na cozinha. O bichinho vem “arretado” atrás de mim, afinal, quem eu penso que sou, o deixando no quarto sozinho por meio minuto? O engraçado é que ele engatinha olhando pro chão, como quem aprende a andar de bicicleta, sabem? Nunca vi disso…

Sabem aquilo que dizem sobre as mães engordarem por ficarem comendo os restinhos das comidinhas do bebê? Bom, se for verdade, vou emagrecer 🙂 Sim, porque o meu pequeno comilão, não só come o dele todo como ainda vem filar o meu! E olha que eu dou comida pra caramba pra esse carinha de pau. Noutro dia mesmo no almoço, comeu  bolo de carne com assado de legumes, e de sobremesa, um potinho de gelatina e meia banana (daquelas grandes). Só parou de comer quando quis. Entretanto quando euzinha fui comer, ele não sossegou enquanto não dividi o meu com ele e só parou de pedir quando viu o prato vazio. Um sem vergonha.

Ah, lembram que eu contei que ele estava falando mama? Ha! Balela, conversa pra boi dormir. Sabem que o danado parou de falar desde que fomos à China? Eu juro que não sou da turma das mães sem noção que acham que o filho falou, sem ter falado, mas pelo visto me enganei, dou minha mão à palmatória. Bebezuco segue no té té té.

Aliás, o fato dele não falar só deixa mais engraçado o susto que ele leva quando está fazendo o que não deve. É sempre assim: quando ele tá silencioso, pode olhar que tá fazendo o que não presta. Mastiga papel, mexe nas coisas da mamãe, tira todos os brinquedos das caixas… sempre, sempre olhando de rabo de olho pra mim, porque já sabe que eu vou dizer: “nananão…”, no que ele responde com um sorriso malandrinho de quem sabe que está fazendo arte. O problema é que esta flor que vos escreve pode ser um tanto escandalosa de vez em quando =O|, especialmente se pega o pequeno querendo colocar alguma coisa na boca. O que eu faço: grito “não, bebê!!” E o pobrezinho pula de susto, arregala ainda mais os olhões e joga longe o que estiver segurando. Hilário! 🙂 Mas depois fico com pena, coitado. Juro que não faço por querer, é automático.

Pra fechar, claro, não poderia faltar foto 🙂

comendo o pão que roubou do papai

todo feliz porque a lava-louças está aberta (felicidade maior que essa só se a porta da geladeira estiver aberta!)

bagunçando as revistas da mamãe

dando uma voltinha com seu amigo “Leonel”

Indo atrás da tampinha da lente da câmera da mamãe 🙂

Em tempo: dois dias após eu ter escrito este post, o bonitinho voltou a falar mama. Agora, quando eu vou colocá-lo pra dormir à tarde é assim: o coloco no berço abraçadinho com o Pooh e vou saindo de fininho. Às vezes dá certo, às vezes ele fica em pé e grita “mama, mama, mama”. Fofo, né? 🙂

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s