saco

No sabado, como jah contei, a procura da casa foi frustradissima, entao resolvemos virar a pagina, mudar de regiao e abrir mao de algumas coisinhas, como o quarto quarto e ateh (se nao houver outro jeito) do segundo banheiro, desde, eh claro, que haja um segundo toilete (aqui eh comum encontrar um segundo toilete na lavanderia).

Ontem durante minha procura insana, encontrei uma pah de outras propriedades que pareciam casar com nossas exigencias/expectativas, todas bem mais novinhas que as primeiras, ou pelo menos reformadas, com uma cara boa. Hoje pela manha resolvi fazer a triagem, jah que nao quero cair no mesmo erro e perder tempo vendo casas que nao valem a pena. Entao, li, reli, olhei as fotos com zoom maximo e no fim das contas quantas eu tinha? TRES! Tres das mais de 20 pre-selecionadas.

Sei que to parecendo disco arranhado, nem eu me aguento mais, mas se nao desabafar aqui, nao tenho mais onde faze-lo, jah gastei todas as minhas opcoes… O coitado do marido vive ouvindo minhas lamentacoes. Mami e papi jah entraram na danca tambem. To ateh com vergonha de alguns amigos, que me ligam pra dar oi e eu destrambelho a chorar minhas magoas da frustrada procura pela casa.

Mas continuemos, porque aqui pelo menos voce tem a opcao de “desligar na minha cara” sem que eu saiba, de me mandar “calar a boca” sem que eu ouca… eh soh fechar a janelinha e pronto. Eu desabafo e voce nao precisa saber 🙂 Ninguem se aborrece…

Enfim, o fato eh que tendo eu chegado as 3 finalistas, decidi ligar pra marcar as visitas e o fracasso continua. Uma delas abre pra inspection hoje, porem jah estah disponivel, o que reduz absurdamente nossa chance de consegui-la, visto que soh queremos pra daqui 4 semanas e nao estamos nada inclinados a pagar aluguel dobrado. Esta, portanto, estah fora.  A outra, que parecia simpatica e embora nao tivesse fotos no site, era novinha e tinha uma descricao quase perfeita, tem uma corretora estupidamente grossa, fiquei chocada! No fim das contas descobri que a casa soh estarah disponivel pra visita apos dia 7 de junho, o que seria um ponto a nosso favor… pena que nao quero mais falar e muito menos encontrar com a grosseirona.

A terceira, minha predileta, tinha a descricao perfeita, uma localizacao excelente, uma cara otima, porem, fui informada que ela nao deve mais estar disponivel. Olhei novamente no site e continua aparecendo como disponivel, mas perdi as esperancas, porque ainda que nao tenha sido alugada, a procura parece ser grande, logo, sem chance de conseguirmos fechar contrato pra daqui a 4 semanas.

Foi assim, uma bomba atras da outra e com isso, a nuvem negra do desanimo se instalou no telhado aqui de casa (casa da qual terei que sair em exatos 30 dias). Agora o jeito eh driblar a ansiedade, engolir o estresse e soh voltar a procurar lah pelos meados de junho. Obviamente, ateh lah, estarei careca, sem unhas, com olheiras profundas e me arrastando dentro de um pijama. O desafio serah conseguir ocupar minha mente e desviar minha atencao do asunto que mais tem tirados meu sono e minha paz. E aih, faltando apenas duas semanas pra deixarmos esta casa, teremos o desafio maior: encontrar uma coisa decente assim, no tranco, porque sinceramente, prefiro ficar morando dentro de um caminhao de mudanca a me contentar com uma casa meia boca. Depois de tanto estresse, eu quero a minha casa!

Em tempo: Se voce acha que a ordem de grandeza do meu estresse estah fora de proporcoes, voce deve estar certo(a). Please, considere: sou ansiosa por natureza e ESTOU GRAVIDA.

cada caso, um caso

Como jah eh sabido, baby Nick nao eh de mexer muito e quando o faz eh bem gentil, coisa que deixa a mamae aqui aflitissima, primeiro porque Vinizinho, quando se hospedava aqui dentro, apesar de nao dar chutes nem socos violentos, mexia bastante, e depois porque, poxa vida, uma das coisas mais gostosas de estar gravida eh sentir o mexe-remexe aqui dentro…
Mas como dizem por aih, cada gravidez traz com ela sintomas diferentes, estorias diferentes e por fim, pessoinhas diferentes 🙂
Durante minha primeira gestacao, ouvia muito falar dos famosos Braxton Hicks, que sao contracoes uterinas, entretanto, pra mim nao passavam de “ouvi falar” e durante os nove meses que Vinizinho morou aqui dentro, nunca as senti, nem imaginava como seriam. Jah desta vez, comecei a sentir as tais endurecidas na barriga desde muito cedo, lah pela decima semana (!!!), mas jamais associei as tais Braxton Hicks contractions e soh hoje fui ligar os pontos e concluir que finalmente sei o que elas sao :).
Soh espero que baby Nick deixe de ser preguicoso e comece logo a mexer com mais afinco, senao nao vai ter outro jeito, vou ter que ir mesmo contra a razao e o bom senso e convencer o marido que precisamos encomendar o baby Thomas 🙂

PS. Acabei de checar possiveis causas pra essas contracoes e adivinhem? Shame on me!!! Podem ser porque eu nao estou me hidratando o suficiente, o que me lembra que hoje soh bebi um copo d’agua e jah passamos da metade do dia =O|. Bad mom =(

Vou beber agua.

24 weeks

Faltando mais ou menos 16 semanas pro dia D, esta (aqui do lado) eh a imagem que ilustra a gravidade da situacao.

Como eu traduziria em palavras? Muita dor nas costas e no resto do corpo tambem, alguma azia (mas bem melhor que na gravidez do Vini), alimentacao completamente desbalanceada – muito doce e pouca proteina. Diria que estou sendo uma gravida bem rebelde jah que sou da turma do exercicio zero e nao bebo agua suficiente todos os dias :(. O exercicio eh caso perdido, mas a agua eu tento beber, juro, mas me enjoa… agua e carne vermelha. E assim vou tocando meus dias e curtindo o que pode ser minha ultima gestacao, jah que aparentemente o Thomas subiu no telhado 😦

Baby Nick segue quietinho, muito pouco se mexe e quando o faz eh bem gentil, continuo sentindo soh umas coceguinhas e eventualmente endurecidas de barriga. Na verdade sinto a barriga endurecer mais vezes do que sinto as coceguinhas. Tomara que isso signifique apenas que a placenta continua baixa, ou entao que ele seja de fato um bebe bonzinho (minha mae conta que eu era assim tambem, quase nao mexia).

Well, well, well, mas a preocupacao da vez nao eh minha barriga, o Nick, tampouco minhas dores. O que anda me tirando o sono eh a tal da procura pela casa, oh God!

Como havia contado, ontem fomos a procura da nossa casinha e visitamos 12 delas. Claro que, conforme previsto, soh uma prestava, o resto era MUITO RUIM, o que nos fez concluir que se as fotos nos sites nao tocarem meu coracao, nem adianta ir ver pessoalmente porque a decepcao eh certa. A mah noticia eh que ateh a unica que (meio que) gostamos nao eh lah uma Brastemp: a area social em menor do que eu esperava, os quartos sao minimos, inclusive a master suite, que em tese deveria ser maior, eh menor que o nosso atual espremido quarto, o que eu achei ser impossivel.

Malditos construtores! Sim, porque eu me recuso a acreditar que um arquiteto (por mais incompetente que seja) projete quartos que mal acomodam uma cama. Enfim, 4 quartos que poderiam ser 2. Alem disso, outro agravante, nao tinha garagem fechada :(. No fim do dia o saldo foi o seguinte: marido deixou de ir ao futebol pra NADA! Morri de pena :(.

Num capitulo a parte, tenho que ressaltar que o comportamento do meu nem-tao-pequeno foi mais do que exemplar, mal pude acreditar, quase chorei de emocao… O bonitinho comportou-se como gente-grande, daquelas bem pacientes e ficou no entra no carro, sai do carro, entra na casa, sai da casa e repete tudo novamente vaaaaarias vezes o dia todo e soh foi dar ataque no fim do dia quando o sono bateu forte demais. Tadinhos dos meus meninos, sacrificaram-se em vao, porque nao soh nao aplicamos pra nenhuma casa, como decidimos, no apagar das luzes, que nao vamos mais morar por aquelas bandas e ficaremos por aqui por perto mesmo, num bairro mais central, porque se eh pra pagar 460 dolares por semanas, que seja perto da civilizacao.

O resumo da opera eh que esta semana comecaremos da estaca zero e vamos focar somente em townhouses novinhas de 3 quartos (de tamanho de gente e nao de cachorro) e 2 banheiros, nos moldes da que moravamos nos EUA. Pra meu desespero, isso eh artigo raro por aqui… sei que vamos cortar um dobrado pra conseguir o que queremos, mas assim eh a vida, eh doce mas nao eh mole, nao 🙂

Ah, claro, eh bom eu deixar bem claro que nao fui soh eu que achei as casas horrorendas, o marido que eh bem menos exigente que eu, quando entrava nas casas, olhava pra mim e dizia “nao dah…”. Eh, realmente nao dava…

Tomara que no fim das contas nao sejamos forcados a aumentar ainda mais nosso orcamento, porque, francamente, jah acho um absurdo o que estamos dispostos a pagar. Esse mercado imobiliario de Melbourne estah impossivel!

Bom, eh isso, lembram do mapinha que publiquei no post anterior? Podem esquecer, porque nossa area de procura mudou drasticamente.

Continuem na torcida, porque eu jah nao durmo direito… e nao eh por causa da gravidez!

ainda sobre o mesmo tema

Passei a sexta-feira in-tei-ra selecionando casas nos bairros de interesse. Aparentemente estamos considerando quatro bairros na seguinte ordem (na minha humilde opiniao, nao na do marido que eh totalmente traffic oriented):

1- Wheelers Hill
2- Glen Waverley
3- Mount Waverley
4- Mulgrave

Apos muito copy-paste-delete, chegamos a um total de 35 propriedades que seriam, digamos, viaveis de se visitar, mas obvio que de todas essas, pelo menos 3/4 nao nao se enquadram nos meus implicantes padroes de qualidade. Entretanto, pro momento, o que realmente importa eh que amanha temos 12 pra visitar. Isso mesmo, doze! Passaremos o dia pipocando entre estas quatro regioes (concentrando mais nas 2 primeiras da lista), com um breve intervalo pro almoco. Ah, claro, Vinizinho vai com a gente, afinal, nao tem como despachar o pobrezinho o dia inteiro com alguem (que falta fazem as vovos!). To morrendo de peninha dele (e da gente que vai ter que aturar um molequinho estressado e entediado o dia inteiro), mas nao tem outro jeito, jah que nossa maratona comeca as 9 da matina e soh vai terminar as 5 da tarde.

Espero, do fundo do coracao, que neste sacrificado fim de semana encontremos nosso doce lar, porque, sinceramente, nao to podendo nem pensar na possibilidade de repetir a intensa programacao, especialmente porque temos um molequinho agitado anexado a situacao. Precisamos encontrar A CASA amanha e, mais, precisamos que nossa application seja aceita, soh assim poderemos seguir em frente e partir pros proximos itens da longa to do list que deve ser liquidada ateh a chegada do pequeno Nick. God help us!

foi dada a largada

Mais uma semana vai chegando ao fim e agora eh oficial: estamos empenhados na busca pela nova casa. A regiao jah foi escolhida e agora temos dois ou tres bairros onde focar nossa procura, o que jah facilita bastante a vida.

Como jah havia contado, abandonamos de vez a ideia da casa perto da praia, do trem, do fofo comercio de rua e fizemos as pazes com a suburban life, aquela nos bairros estritamente residenciais (que eu sempre abominei), onde se precisa de carro ateh pra ir ali. O desafio vai ser viver com um carro soh.

Nosso tempo em Brighton foi delicioso e eu sigo aproveitando (afinal ainda falta um mes ateh a entrega da casa) as facilidades da vida por aqui: salao, cafes, banco, correio, mercados, lojinhas, tudo a facil alcance, poucos e preguicosos passos. Em um mes tudo vai mudar de figura e todas aquelas conveniencias hoje disponiveis a passos de casa, estarao enclausuradas num mall, privadas da luz do dia. Nao me entendam mal, adoro shoppings (como uma boa consumidora consumista), mas confesso que prefiro mil vezes andar pela rua, a ceu aberto, sentindo a brisa, passando pelas pessoas sentadinhas nos cafes, atravessando ruazinhas locais, observando os cachorrinhos amarrados ao banco a espera do dono que entrou na lojinha e jah volta. Ai, vou sentir muita falta disso, eu sei.

Esse ano morando aqui, percebi que nao preciso morar no agito da cidade (apesar de gostar muito dele, do barulho, da urbanidade), preciso sim (precisava, Erica, precisava…) de ter uma vida urbana, de ver pessoas pelas ruas, de parar na esquina pra tomar um suco, comer um doce… Mas tudo isso que, com os dias contados, ainda faz parte do meu presente (e que presente), em breve serah estoria – nao, serah historia! – e meu dia-a-dia voltarah a ter aquele gosto dos suburbios americanos, dos quais eu tanto almejei sair. O lado positivo eh que aqui, ao contrario do que eu via nos EUA, as neighborhoods tem mais personalidade e as casas sao mais diferenciadas, nao sao produzidas no mesmo formato. Observem que nao estou comparando beleza – coisa que alias eh bem subjetiva – ou bom gosto, comparo a variedade, que por si soh jah ajuda a compor um cenario menos cenografico, mais real, onde vivem familias diferentes, com gostos distintos, ideais diversos e que nao se sentem compelidas a construir uma casa parecida com a do vizinho, soh que “melhor”, com o telhado mais alto, soh pra mostrar que podem mais. Blah! (pra quem nao compreende o que eu estou falando, aqui vai um clipe ilustrativo  – e viva a diversidade!)


 (quem quiser ver uma versao ainda mais ilustrativa, clica AQUI)

Mas deixemos minha revolta de arquiteta/urbanista de lado e foquemos no que agora interessa: we are going back to the suburbs e se conseguirmos neste fim de semana fechar com uma das casas que estamos interessados, tenho eh que lamber os beicos e me dar por satisfeita, afinal, se estou abrindo mao da localizacao, preciso de casa grande, bastante espaco pras criancas e pros eventos de fim de semana. Vamos sair da nossa compacta e simpatica casinha de 2 quartos e um banheiro pra uma de 4 quartos e dois banheiros, se tudo der certo, claro. O que nao vai faltar eh espaco. Em compensacao, visto a diferenca de tamanho da area social, faltarao moveis – mas isso eh preocupacao para um proximo post 🙂

O que eu sei eh que se tudo correr conforme previsto, em um mes a gente se muda e duas semanas mais tarde estaremos com a casa em ordem – inclusive os quartos das criancas. Daih pra frente serah comprar o enxoval do baby Nick, finalizar os preparativos pro baby shower (que deve acontecer no fim de julho) e do aniversario do Vini, afinal se nao me empenhar nisso logo, tadinho, vai acabar nao tendo festinha. Em paralelo, sigo, a passos de tartaruga manca, tentando masterizar meus conhecimentos do jah tao comentado Revit, mas confesso, me falta disposicao, ar e me sobra dores nas costas, o que faz com que minhas horas sentadas em frente ao computador reduzam-se sensivelmente e por consequencia, os capitulos comecam a se arrastar.

Mas nao ha de ser nada e ateh meu menorzinho chegar terei cumprido minhas metas e aliviado minhas tensoes. Poderei dizer que meus meses de gestacao, geraram nao soh um baby, mas uma casa nova e mais um conhecimento adquirido – isso pra nao falar nos quilos a mais que esses nove meses estao agregando ao meu corpo. Tudo bem, depois eu faco bastante pensamento positivo pra que eles me deixem para sempre. Sim, porque ninguem aqui acredita que eu vou fazer dieta ou exercicio, neh nao? Ainda mais que meus pais estao vindo pra cah e, cah entre nos, a comidinha da mamae eh o que ha de melhor nessa vida!

Impressionante a facilidade que tenho tido em desvirtuar do assunto. Foca, Erica, foca!

Bom, o fato eh que neste sabado vamos a maratona de inspections, que eh como se visita as propriedades por aqui: sao 15 minutos pra que todos os interessados vejam a casa, depois disso, preenche-se a aplicacao e cruza-se os dedinhos para que a sua seja aceita. Estresse total! Vamos a 3 inspections com 3 cabecadas e, com sorte, conseguiremos marcar outras private inspections. O problema eh que, baseada nas fotos, meio que elegi minhas duas favoritas (como da primeira vez, lembram?) e ambas estarao abertas pro publico por 15 minutos no sabado, ou seja, mandem vibracoes positivas, cruzem os dedos, coloquem o santinho de cabeca pra baixo e facam promessa, porque se uma dessas duas for realmente o que pintam no site, eu quero! Eu e todas as outras pessoas que vao pra inspection 😦

Oh well, aguardemos as cenas do proximo capitulo.

exploracao do trabalho infantil

Sabado foi dia de faxina. De manha, enquanto o papai estava no futebol, Vivi ajudou a mamae a limpar a casa. A tarde, quando o papai voltou pra casa, foi a vez do jardim… ele trabalhou direitinho 🙂 Ou, pelo menos, saiu bem nas fotos… Um desavisado que passa por aqui e ve estas fotos, ateh acha que a gente realmente explora o trabalho infantil 🙂

23 weeks

Vinte e tres semanas de barriga e, nossa, o tempo estah voando! Engracado como minha primeira gravidez se  arrastou e a segunda estah  passando num piscar de olhos.

Apesar de estar morrendo de dores pelo corpo todo, de achar que nada fica bem em mim, apesar do meu rosto estar em erupcao constante, dos meus cabelos estarem minguando e sem vida, de nao ter boas noites de sono, apesar de tudo isso eu confesso que GOSTCHO de estar nesse estado interessante :). Vai entender?!? E eh por essas e outras que sinto as vibracoes que seremos uma familia de 5. Oh well, let it be… Deixemos o assunto descansar, afinal, se the little second, tambem conhecido como baby Nick, for tao dificil como o Vini foi, acho que a fabrica fecha mesmo em dois.

Reparem que esta semana a foto eh da familia :), gracas a um dos meus presentes de Dia das Maes, um tripeh, para que, finalmente, eu possa comecar a tirar minhas fotos noturnas de longa exposicao – resta saber se terei energia pra faze-lo antes do bebezuquito nascer…

Well, other than that, tivemos mais um fim de semana busy-busy, coisa que eu a-do-ro! O sabado, muito embora tenha comecado caido com uma faxina matinal daquelas de deixar o corpo todo dolorido, logo melhorou, quando a tarde colocamos o pezinho na rua :). Pra fechar com chave de ouro, a noite teve aniversario do tio “Niquelis”, um jartarzinho irado preparado pela tia “Vivaaan”. Alias, de quebra, ainda conhecemos mais um casal brasileiro super gente boa, a Flavia e o Luciano. Estou comecando a desconfiar que pre-requisito pra entrar na Australia eh ser gente boa  – modestia a parte, claro 🙂

No domingo, pra completar, teve aniversario de um aninho da pequena Valentina, onde reencontramos outra pah (ou melhor, um caminhao) de brasileiros. Vini se divertiu a valer e nos pudemos bater papo horas a fio – alias, vai ter brasileiro assim lah no Brasil! 🙂

O proximo fim de semana ainda estah em aberto, mas no seguinte tem cha de bebe! Nao o meu, que estah programado pra acontecer apos a mudanca, no fim de Julho, mas o da tia Vivian 2, que tambem estah a espera de um boyzinho, o, ainda sem nome, irmao da Manuela 🙂

Enquanto isso, sigo empenhada em terminar o livro do Revit e, em paralelo, preparando as coisinhas pro baby shower do Nick e pro aniversario do Vivi 🙂

Ah, sim, comecamos a procurar, com mais afinco, nosso proximo doce lar. Uma coisa jah decidimos: abrimos mao dos bairros mais centrais e vamos, sim, morar nos suburbios melbournianos, laaaaaah longe, onde o vento faz a curva, mas as casas sao mais novas e beeeem espacosas 🙂

Desejo de boa sorte eh sempre bem vindo 🙂