e ontem foi dia de medico

***escrito aos 17 de marco***

Mais uma vez, respiro fundo, fecho os olhos e entro nas instalacoes do meu amigo Sandy. Uma quase infinita linha verde me conduz ao setor onde os medicos atendem e chegando lah, comeca a espera.
A espera – parte I
Entro na primeira salinha, cheia de gravidas, pego minha senha, sento e me ponho a esperar. Opa! Chamaram meu numero! Vou ter com a recepcionista, que apos meia duzia de palavras, pega o meu cartao do Medicare e me encaminha… para a outra sala de espera.
A espera – parte II
Jah na segunda sala de espera, vejo rostos “conhecidos” da primeira. Muitas barrigas e todas elas fizeram a minha parecer, nao mediocre (porque mediocre jah seria um avanco!) mas insignificante :). Confesso que ver uma colega indiana exibindo uma mega barriga as meras 21 semanas me fez sentir melhor. Se bem que ela pode estar esperando gemeos, vai saber!
Enfim, tome de esperar. Ateh que surge uma mocinha (nos seus 50 e poucos) me chamando. Pensei: serah possivel?? Minha vez?? Hmmm, quase… ela queria apenas pegar meu historico e dizer que jah jah seria atendida. Jah jah? Sei…
E tome de esperar.
Agora sim, de volta, a mesma mocinha, que na verdade era uma das simpaticas parteiras, me conduz a salinha dela, onde a postos estava um estudante de medicina, fazendo estagio (claro que com nossa autorizacao).
Conversa vai, conversa vem, por lah ficamos muito tempo discorrendo sobre todos os pontos possiveis ateh que enfim sou reencaminhada para a jah familiar segunda sala de espera. Desta vez, a espera da doutora medica :
Ah sim, a parteira eh tao atenciosa e detalhista que ligou pro laboratorio onde fiz exames de sangue no fim do ano, antes de engravidar, pra checar os resultados, os quais, vejam voces, indicavam que jah naquela epoca estava com as quantidades de ferro abaixo do minimo. Na epoca minha GP nao deu importancia ao fato e apenas me disse que se eu quisesse poderia tomar um suplemento de ferro. Como nao tomei, obvio que a esta altura estou praticamente ferro-free :(. Mas fiquei contente com a preocupacao/competencia da minha amiga parteira 🙂
A espera – parte III
Espera, espera, espera. Ainda bem, estava passando o show da Ellen na TV, o que fez o processo ser menos cansativo. E eis que finalmente, surge a medica, devidamente acompanhada do nosso jah camarada estudante e me chama para a salinha final.
Numa consulta breve e, sinceramente, dispensavel, a doutora (que descobri ser amiga da miha GP) passa os olhos apressados pela minha ficha, ouve os batimentos do baby (que como sempre, me emocionaram… nem tanto ao papai, hehe) e checa o utero. Me faz umas perguntas, dentre as quais, uma eu nao entendo (sotaque carregado!), deduzo errado e, obviamente dou uma resposta nada a ver (como se me perguntasse se eu gosto mais de laranja ou banana e eu respondesse “1980”…). Precisou o simpatico estudante repetir com seu sotaque chines (ou coisa que o valha) pra eu entender.

A maratona estava quase no final. Depois dali, fiz enfim meu primeiro exame de urina e marquei ali mesmo, no meu querido Sandy (oh vida), minha segunda e ultima ultra, que farei as 20 semanas, logo antes da minha proxima consulta, que infelizmente serah novamente com um medico, jah que permaneco na fila de espera pelo atendimento 5 estrelas com as parteiras.

Deste dia, ficaram alguns aprendizados:
– nao eh de praxe pesar as gravidas;
– estudantes de medicina em terras australianas sao otimos, pena que se transformem nesses profissionais pedra de gelo que tratam os pacientes como numeros;
– midwives rock! they are the best! Simpaticas, atenciosas, carismaticas, sensiveis e delicadas. Seres humanos de verdade;
– embora as instalacoes do meu amigo Sandy estejam a anos-luz do que eu gostaria, nao posso negar, as coisas funcionam;
– tiro meu chapeu pros medicos do Brasil, especialmente praqueles que eu conheco, que atendem seus pacientes sem pressa, que ouvem e que se importam de verdade e mesmo muitas vezes atendendo por plano de saude, que paga uma merreca, nunca se limitam a uma consulta corrida de 15 minutos.

14 weeks

***escrito aos 15 de marco***

Aqui estou, direto das 14 semanas de gestacao, com os jah sabidos quase 3 Kg a mais, comendo doce feito uma doida varrida.
A barriga nao nega, eh grave a crise. Provavelmente voces nao notam a diferenca a cada semana, mas a verdade eh que minha cintura pre-gravidez media 68cm e hoje, com apenas 3 meses mede nada menos que 86 cm! Mas… vou tentar me controlar, nao falar tanto sobre ganho de peso e medidas e focar nas outras mudancas que venho notando.
Por exemplo, nunca na minha vida senti dificuldades em caminhar, tampouco sabia o que era sentir falta de ar. Hoje conheco bem as duas situacoes e qualquer caminhadinha de uma hora me deixa ofegante – nao cansada, sem ar mesmo.
Mas e as maravilhas da gravidez onde estao?
O famoso “glow” continua um desconhecido pra mim. A unica coisa diferente que apareceu em meu semblante foi o mar de erupcoes irritantes que insiste em me acompanhar – alias, foi assim tambem na gravidez do Vini.
E os cabelos, ah, os cabelos… esses nao tem jeito, aquela vitalidade de outrora nao bateu a minha porta dessa vez e estou comecando a considerar seriamente um corte drastico – a unica coisa que me faz reconsiderar eh o fato da mulherada aqui viver fazendo hair extensions, que custam a partir de 800 dolares! Po, enquanto o povo faz alongamento eu vou tosar minhas madeixas? Me sinto jogando dinheiro no lixo… Se bem que nao eh como se meus cabelos estivessem sedosos e lindos de morrer, neh?! Hmm, vamos ver…
Other than that, terca-feira serah o dia da minha primeirissima consulta com um medico do hospital, o que, acreditem eh very unusual, jah que a primeira consulta geralmente acontece na semana 16, pasmem!
Coisas de Australia…
(nao sei porque, mas sinto que esse post terminou de repente)

estou repetitiva, eu sei

***escrito aos 14 de marco***

Gente, estou surtando! Acho que eh o trauma dos 16 Kg da primeira gestacao, soh pode ser!
Mas o fato eh que, relendo o post das minhas 15 semanas de gravidez do Vini, me deparei com o seguinte trecho:

“O que eu sei eh que no auge das minhas 14 semanas, ainda nao havia ganhado um quilo, alias, ainda estava recuperando os que havia perdido na quarta semana com a gripe. Hoje na 15a semana, de uma hora pra outra aumentei meu peso em um quilo!”

Voces tem nocao da gravidade da situacao?? Hoje, quando subi na balanca, a maledetta avisou que, pra meu desespero, jah ganhaei quase 3 Kg – em apenas 14 semanas!!!!!!
Eh, pra quem queria (do verbo torcer e nao do verbo “fazer por onde”) ganhar de 8 a 9 Kg apenas, comecei mal, neh?! Acho que agora soh me resta torcer pra que eu nao ultrapasse a marca dos 16… que puxa =(

Soh pra ilustrar meu drama,  deixo aqui esta singela tabela que ilustra meu caso critico (estou exatamente no MAXIMO)

road trip!

No fim de semana, embrulhei meus enjoos num pacote e destemida entrei no carro para nossa primeira road trip desde que engravidei.
Foi uma viagenzinha rapida, soh mesmo sabado e domingo e o motivo de irmos assim de repente foi pra nao perdermos a reserva (leia-se $$).
Faz uns meses, haviamos combinado um acampamento com Polly e familia, mas porque eu estava no auge dos meus enjoos, achamos melhor cancelarmos a ida, jah que 1- dormir em barraca nao eh a situacao mais confortavel pra quem jah estah desconfortavel e 2- a estrada ateh o destino eh sinuosa pacas (de onde eu desencavei essa expressao, me expliquem?!)
Entao, o fato eh que resolvemos remarcar nossa reserva, soh que entre  lah e cah, esquecemos completamente do assunto e quando fomos lembrar, jah estva na vespera do dia reservado. Olhei pra um lado, pro outro, pensei e cheguei a conclusao que acampar nao ia dar! Primeira que a gente nao tem equipamento, segundo porque imaginem uma gravida que precisa de um exercito de travesseiros dormindo numa barraca com marido e filho e some a isto o fato de nao haver um banheiro a 5 passos do “quarto”. Pois bem, de barraca fomos a cabana simples, que logo descobrimos nao ter banheiro, ao que eu pergunto: do que adianta uma cabana, se nao tem banheiro?!?! E acabou que no minuto em que saiamos de casa, resolvemos ligar pro camping e reservar a cabana com dois quartos, banheiro, aquecimento, tv, dvd, microndas, geladeira, foga e aquecimento! Ou seja, percebam que a ideia original foi pras cucuias.
A viagem foi boa, e apesar do maleta do GPS ter nos levado pro lugar errado e da estrada ser super sinuosa, nao passei mal, sobrevivi inteirinha (soh com uma mega dor nas costas).
O parque onde ficamos hospedados era fofo demais, cheio de criancas brincando soltas e papais e mamaes com tacinhas de vinho e borbulhante nas maos (the australian way of life, hehe).
O Vini foi a loucura e pulou feito um sapinho no mega pula-pula (alias, confesso que ele nao foi o unico), brincou no super parquinho ateh a exaustao e correu atras dos patos oferecendo “comida” (na verdade, pedacos de grama), ateh nao aguentar mais. Era muito engracado ve-lo perseguindo os patos e repetindo insistentemente: “Come (“vem” em ingles), piu-piu, hmmm, papah delicia!” Ele estah muito fofo e divertido, a blast!
No dia seguinte fomos em direcao a tao esperada visita aos 12 Apostolos e, que vista! Nossa, de perder o folego e dar um friozinho na espinha. Minha vontade era ficar lah o dia todo e esperar o por do sol – fiquei imaginando a luz maravilhosa e o conjunto divino que deve se formar com o anoitecer. Bom, mas fica pra proxima…
Visto os apostolos, seguimos um pouco mais adiante e paramos numa prainha lindinha de aguas lindas e calmas e areia fofa pro Vini brincar um pouco, afinal coitadinho, ateh que ele estava se comportando de maneira exemplar durante todo aquele tempo de viagem, sentadinho no carro.
Claro que nao levamos protetor, nem barraca e que foram dois dias lindissimos de sol quente e nenhuma nuvem no ceu. Resultado: abreviamos o que poderia ter sido uma tarde na praia, para uma horinha na praia e tivemos foi sorte de nao ficarmos queimados e ardidos! Preciso tomar vergonha na cara e me armar dos apetrechos necessarios pros nossos passeios… e de preferencia, deixa-los sempre a mao, no carro.
Foi um final de semana delicioso, que deixou gostinho de quero mais e encerrou com chave de ouro nosso primeiro verao aussie. E pra completar, ainda teve a cerejinha no topo: o caminho de volta durou apenas 3 horas e nao as previstas 5, gracas ao nosso imprevisivel GPS – eh, aquele mesmo que nos levou pro lugar errado no comeco da viagem. Bom, neh? A unica coisa chata eh que a viagem inteira eh assim: nada de um lado, nada do outro. Um tanto monotona… Mas vou reclamar do que? Nem vomitei!
Pra encerrar, uma amostra gratis do fim de semana 😉

 No meio do caminho, Vivi avisa: “lucky poo!!” Claro, era alarme falso, mas valeu como ensaio 😉
Como eu disse, road trip!!!
Momento de emocao: Vivi encontra o pula-pula gigante :). quem ia se amarrar e fazer mil acrobacias era a Juju 😉
Eta vida boa 🙂
Como diria o vovo William, levanta pra cair de novo 🙂
Crianca grande tambem pode pular, mas nao esqueca, tem que tirar o sapato!
Felicidade pouca eh bobagem =)
E eis que nosso filhotinho-amarelao que ateh pouco tempo nao encarava escorrega de meio metro, desceu destemido no maior do parquinho, uhuuuu!
Continuando nossa viagem no dia seguinte… uma paradinha pra abastecer.
Registrando a precariedade do “posto de gasolina”
Me senti num filme daqueles tipo Ferias Frustradas 😛
Finalmente, no caminho que leva aos 12 Apostolos
Olha eles aih! A paisagem eh tao linda, mas tao linda, que chega a dar falta de ar 🙂
Uma foto da mamae com seus filhotes
Nao dah pra descrever… Bom, ateh dah, mas eh melhor ver!
Vivi e papai
Meu filhotinho lindo e pirracento
Uma ida apenas nao eh suficiente, preciso voltar lah mais umas duas vezes, em horarios diferentes
Vai dizer que nao eh perfeito?
Meus meninos
Pula, Vivi!
Mamae e filhotinho
Corre, papai!
Paradinha na praia, porque ninguem eh de ferro 😉
Aih, voce me pergunta “mas porque o Vini estava de roupa?” Hmmm, nao lembra? Esquecemos o protetor =O|
Como diz o Vivi, “delicia!”
E eu pergunto, serah que nessa agua tem cobra?
Me faz lembrar Buzios…

festinha na creche

Na segunda semana do mes teve festinha na creche. Disseram que teria apresentacao das criancas com as musicas preferidas e eu logo imaginei o filhotinho dancando ao som do Monkey Man, dos Wiggles, entretanto descobri que na verdade as musicas eram as preferidas das tias e nao das criancas 🙂
A parte mais engracada do “espetaculo” foi o fim, quando disseram “acabou” e as criancas, libertadas da tortura, pularam e gritaram com contentamento 🙂
Ainda assim eh sempre divertido ver o Vini em seu habitat natural, brincando com as outras criancas, liderando movimentos, ou mesmo taking his time alone, comendo seu lanchinho. Tao crescido… Eu, mae bobona que sou, me emociono o vendo ir ateh a mesa e preencher seu pratinho com morangos, queijo e biscoitos. Ou entao, sentadinho tomando sua agua no copinho de gente grande. Tao independente! Ah, eu babo mesmo. Eu e o pai dele 🙂

 No colo da vovoh Tina (meio que) participando da suposta “coreografia”
 Verdade seja dita, a unica pessoa que estava curtindo aquelas musiquinhas era a tia Stacy
 As criancas do Toddler Room
 Na fila do rango 🙂
 – soh pra deixar claro, essa criancas nao sao da turminha do Vini, nao… Sao os irmaos mais velhos
   Que cara de assustado 🙂
 Tomando uma aguinha fresquinha 
 O devorador de morangos
 “que foi, mamae?”
 uma das atividades preferidas do vini na creche… ele chama de bike, mas eh uma mistura de triciclo com patinete
 Em primeiro plano, Milo (le-se Mailou) o best friend do Vivi 🙂

sinistro

***escrito aos 15 de marco***

Hoje pela manha (aqui na Australia, claro), lendo as manchetes do Globo on-line, vejo logo no topo da pagina:

“O show do grupo Guns n` roses, que aconteceria na Praça da Apoteose às 19h, foi cancelado minutos antes, depois que parte do palco cedeu.”

Soh uma coisa a dizer: SI-NIS-TRO