os ataques de vinny – parte 357

Ele voltou! O Vinny atacado, que grita, esperneia, rola, se joga, grita, chuta, grita, chora… estah de volta – espero que nao por muito tempo.
O processo recomecou ontem durante o dia e foi se agravando com a chegada da noite, havendo ataques, inclusive, madrugada a dentro.
Justo quando achamos que o pior havia passado, Vinny acorda, por volta de 1:30 da madrugada, aos berros e assim fica por muito tempo, nada nem ninguem o acalmava, ateh que finalmente, a custa de muito nana nenem, ele adormeceu. Entretanto, foi soh eu tentar ajeita-lo na cama, que puff! o bichinho acordou. E tome de se esgoelar novamente. Dessa vez, o Mauricio ficou em charge e o levou pro quartinho dele, de onde soh voltou depois que o pequenino estava dormindo. Tudo resolvido? Parecia, ateh que passados 5 minutos, acordou novamente, aos prantos, dando gritos altissimos (gritava mais que chorava), e voltou pra nossa cama, onde acabou adormecendo de cansaco, acho eu.
Bem, sinceramente nao sei se essa foi realmente a ordem dos eventos (vou precisar pedir ajuda aos universitaros, hehe), tudo estava meio turvo, dados o sono e a aflicao que se faziam tao presentes. Soh sei que hoje pela manha, os escandalos continuaram 😦
Justo agora que eu ia elogiar, contando da experiencia quase boa que tivemos com ele noutro dia quando nos foi possibilitado jantar fora sem nem ter levado o DVD player portatil dele.
Aff, de volta ao estagio inicial… Soh espero que isso passe a jato, porque ninguem merece passar uma semana estressada em Fiji 😦

a primeira vez!

Hoje, dia de creche, portanto dia de folga, resolvi bater perna, mas uma batidinha basica, soh pela redondeza. Fui paquerar (e somente paquerar!!) vitrine e aproveitar o dia, que nem estava tao frio (leia-se 18 graus).
No meio do caminho, tentacao: uma plaquinha em frente a um spa (bem carinho) dizia “perna inteira + virilha $70). Juro, quase entrei. Foi muita emocao ver esse valor estampado na minha frente! Entretanto, resisti bravamente e segui meu caminho ateh o mercado, onde humildemente comprei um pote de cera. Good girl – pensei.
Andei, andei e jah no caminho de volta resolvi fazer um pit stop num salao que eu sempre ensaio entrar e nunca entro – com medo do precinho, claro. Entrei. Entrei e marquei uma hora pra finalmente refazer minhas highlights e aparar as madeixas, coisas que nao faco desde dezembro, quando ainda estava no Brasil. Tah marcado: em uma semana terei meu dia girly girl! Sorte minha, noutro dia recebi pelo correio uma promocao do mesmo salao, dando 35% de desconto pra clientes novos. That’s a big deal!
No momento em que marquei hora no salao, foi instantaneo, senti uma leveza, quase flutuei, tamanha era a emocao – serah que finalmente volto a ser a Eriquinha de antes? Soh de pensar, sinto borboletas no estomago.

O fato eh que deixando o salao, dei mais uma esticada soh pra passar em frente de um outro salao, este especializado em pedicure/manicure (aqui, nao eh todo salao que oferece servicos de cabelo, depilacao e unha – muitas vezes voce precisa fazer o circuito beleza) e qual nao foi minha surpresa ao ver a plaquinha (tenho adorado plaquinhas!) dizendo: manicure+pedicure $40. Aih jah era demais, nao conseguiria voltar pra casa de unhas mal feitas. Me deixei, sim, levar pelo momento e entrei.
Tah certo que a qualidade da manicure/pedicure que as meninas asiaticas oferecem nao chega aos pes da que temos no Brasil (e eu nem estou falando de padrao Werner!). Mas foi priceless me acomodar naquela poltronona e regular livremente o tipo e intensidade de massagem que mais me aprazia, enquanto a mocinha fazia gentilmente o favor de nao me arrancar nenhum bife. Bem, elas soh fingem que tiram cuticula, mas tambem, eu quase nao as tenho.
Saih de lah, com unhas vermelhas e sorriso no rosto.

*********
Soh pra ilustrar como esse mundo eh pequeno, a menina (australiana) que estava sendo atendida na poltrona ao lado havia acabado de voltar de 6 meses no Brasil – mais precisamente no Rio!, onde participou de um trabalho voluntario numa favela, nao sei qual. Bacana foi a empolgacao dela ao falar que adora o Brasil e que nao teve nenhum problema com inseguranca (e olhem que ela morou em Santa Teresa!) – isso apesar de nao falar portugues. Fiquei feliz :). Disse tambem que jah passou dois carnavais no Rio e que agora vai voltar pra conhecer Salvador. Soh espero que ela continue tendo boas experiencias, afinal, em se tratando de Brasil, nunca se sabe…

Agora, o mais interessante disso tudo eh que foi soh eu colocar os pes pra fora de casa, que consegui um assunto que nao fosse relacionado ao meu encrenqueirinho. Bom isso, neh? Eu to achando 😉

como pode?

Vinizinho, como jah eh de conhecimento geral, nao fala sequer palavras inteiras, que dirah frases, entretanto parece que jah faz sucesso entre os amigos.
Ontem quando o Mauricio foi deixa-lo na creche, chegava, ao mesmo tempo, um amiguinho da sala, bem mais velho que ele, que imediatamente o cumprimenta: “Hello, Vinny”. Ao que o pai do amiguinho complementa: “ah, entao eh esse o amiguinho do qual meu filho vive falando… Vinny pra ca, Vinny pra lah..”, pelo menos foi o que ele contou.
O misterio eh: como pode o Vinny fazer amigos e influenciar pessoas, se ele nao fala nadica de nada?! Tah bom, vai, ele ateh se expressa de maneira que eu e o Mauricio entendemos. Fala uma silaba aqui, outra acolah,  mas do pouco que fala, tudo eh dito em portugues, entao, ora bolas, como eh que pode?

social do meio da semama

A gente tah que tah!
Desde que o Vinny nasceu jamais tivemos semanas tao movimentadas como as dos ultimos meses, aqui em Melbourne. Sempre um evento, um passeio, nunca falta o que fazer.
Lembro bem que minha vida pre-casamento tambem era bem movimentada. Lembro tambem que nosso primeiro ano em Bloomington foi meio recluso, sem muitos amigos, jah que eu me recusava a procurar brasileiros, pois achava que se o fizesse, meu ingles jamais sairia do estagio ‘massinha 1’. E os amigos nao brasileiros, apesar de muito queridos, nao nos faziam sentir da mesma maneira…
Quando nos mudamos pra cah, vim de alma aberta pra jah de cara fazer amigos e assim tem sido. Voltei a ser aquela Erica de tempos atras – pelo menos no quesito sociabilidade 🙂
Nao que minha vida em Bloomington fosse anti-social, nao eh isso, tinhamos um grupo bem bacana de amigos por lah, turma animada e festeira, da qual eu MORRO de saudade! Mas aqui esta sendo diferente, acho que eh mais parecido com nossa vida carioca: grupos diferentes de amigos – as pessoas podem ateh se conhecer, mas nao fazem parte do mesmo e unico grupo. Circulos diferentes, assuntos diferentes, nao sei explicar, mas me lembra minha vida brasileira =)…
Em Bloomington, quando faziamos um evento em casa pra mais de um casal, me sentia compelida a chamar todo mundo, ficava sempre com receio de que alguem fosse se chatear por ficar de fora: besteira, eu sei, mas me preocupava. Aqui nao eh assim, pelo menos os grupos sao diferentes, o que facilita demais a vida social 🙂
Por exemplo, podemos marcar uma pizza durante a semana com um casal, um churrasco no fim de semana com outros dois, sem repetir assuntos nem pessoas, e dando atencao a todos, isn’t that great?!

Arrumando a mesa…
Mesa posta: reparem na saladinha que a Vivian e o Nicolas trouxeram – yami!!
Soh mais uma, vai 🙂
Vivian literalmente com a mao na massa: depois que voce ganha o titulo “de casa” eh isso que acontece, hehehe
Primeira pizza – de queijo com batata
Depois dessa, ainda comemos mais duas salgadas e uma doce (metade chocolate com morango, metade  doce de leite com coco). Infelizmente, aquela altura nao lembrei de tirar mais fotos; nao teve nem a tradicional foto do sofa – a sangria subiu rapido demais, hehehe.

no dia anterior ao churrasquinho

Finalmente inauguramos nosso novo cortador de grama. Deu um trabalhao, jah que nao tinhamos grama jah ha bastante tempo: era capim mesmo! Entao o maridinho se ocupou da primeira cortada e eu do refinamento, que, putz, me custou algumas horas. Queria me importar menos com as coisas, ser menos perfeccionista, ficar satisfeita com o minimo. Mas aih, eu nao seria eu =O|

O fato eh que alem do matagal que tomava conta do quintal, tambem havia crescido varias plantas indesejaveis, praguinhas mesmo, que jah estavam na altura dos meus ombros, e essas o cortador nao tira, entao tive que arranca-las a mao. Sorte minha, teve um rapazinho, que assim que viu meu trabalho se interessou em ajudar e assim o trabalho foi bem mais rapido 🙂

churrasquinho a brasileira

Neste fim de semana, chamamos uns amigos pra um churrasquinho brasileiro aqui em casa, com direito a paozinho de cebola, arrozinho branco, farofinha carregada, batatinha ao forno, molho a campanha e homens comandando a churrasqueira 🙂
As fotos nao foram muitas, jah que o comando ficou por conta do maridinho, que tira meia-duzia de fotos e acha que estah de bom tamanho, ignorando completamente o fato de que sua esposa eh compulsiva por fotos. Hummm, pensando bem, acho que o movimento pode ter sido friamente calculado, jah que, me conhecendo como ele me conhece, sabe que eu tenho dificuldades em selecionar fotos pra revelar e que acabo revelando mais do que devo  – isso me faz lembrar que nao revelo fotos desde fevereiro!!! Sinto as vibracoes de 1000 fotos chegando pelo correio ateh o fim do ano…
Vamos entao a amostra gratis de fotos do nosso churrasquinho de sabado 😉
 
 Paozinho de cebola, hmmm
Cada um no seuquadrado: mesa de gente grande e mesa de gente pequena 🙂
Ricardo no comando da churrasqueira e Polly supervisionando 😉
A pequena Sofia no colo do papai
Vinny agarrado ao seu fiel amigo “Iouiouiou” e ao seu primeiro dinossauro, presente da tia Polly 🙂
Tia K leva a serio o fato de jah “ser de casa” – nao pode ver louca na pia, que parece uma formiguinha trabalhadeira. Larga a esponja, tia K!! =)
Polly, momentos antes de preparar a deliciosa sobremesa australiana
Atencao, atencao! Vinny ficou completamente apaixonado pela Sofia! Nao parava de dar beijinhos e abracos na pequenina. Estava compulsivo, quase nao deixava a pobrezinha respirar 🙂
 Mas eu nao o culpo, ela eh muito fofa-linda-graciosa
A sobremesa! Base de suspiro com uma camada de chantilly fresquinho e frutas picadinhas por cima: Delicia!!!!
Ateh a Sofia ficou hipnotizada, hehehe
Como depois foi ficando friozinho, nos recolhemos pra dentro de casa, ligamos o aquecimento e tomamos um chazinho pra aquecer os ossinhos. Such a nice day 🙂