mi casa su casa – parte II

(O post acabou ficando bem maior do que eu gostaria, I’m sorry…)

Pra quem achava que ao final do doutorado iria comecar a comprar uma casinha, a vida estah bem longe do imaginado e ao que parece, continuaremos vivendo de aluguel por pelo menos mais uns 3 ou 4 anos, o que significa que nao poderei tao cedo ter uma casa verdadeiramente personalizada, decorada pra ser nossa, com a marca registrada da nossa little family. Entretanto, a gente tenta fazer o que nos eh acessivel e mesmo diante de tantas limitacoes e proibicoes, acho que estamos chegando ao que podemos chamar de lar (pelo menos ateh eu mudar de ideia).
Sempre achei que casa deve ter personalidade e isso vai alem da decoracao. A casa deve ser o espelho de quem nela vive, deve ter cheiros, cores, objetos, toques que pertencam a vida de quem nela habita, historia. A cortina nao tem que combinar com o sofa, a menos que isso seja a sua cara. Cada canto deve transpirar “voce”. Eh importantissimo que sua casa te faca sentir-se a vontade, soh assim as suas visitas tambem ficarao. Nao importa se voce gastou um milhao de dolares ou apenas mil. Alias, acho uma perda de tempo/dinheiro contratar um decorador ou arquiteto de interiores, virar as costas e voltar soh pra “inauguracao”. Sua marca deve estar lah. Ninguem melhor do que voce pra escolher suas almofadas, tapetes, fotografias. Ninguem melhor do que voce pra saber de quantos lugares precisa ser o seu sofah (a nao ser eh claro que vc queira encaixar 6 lugares onde soh cabem 3). Ninguem melhor que voce pra saber se sua casa deve ter uma planta aberta ou compartimentada. Sem modismos, por favor.
Nao estou dizendo que o trabalho do decorador e principlamente do arquiteto eh inutil, por favor nao me entendam mal, sou arquiteta, caramba, acho que nossa classe eh fundamental :), porem mal compreendida e muitas vezes mal utilizada. O nosso trabalho deveria ser viabilizar o sonho do cliente, transformar os seus gostos, as suas preferencias, a sua personalidade, e claro, o seu orcamento, num lugar de bom gosto, confortavel, com identidade, nao importando se o seu estilo eh classico, contemporaneo, minimalista ou ecletico. Um bom profissional consegue juntar a cara do cliente e ainda deixar sua marca, sem empurrar uma ideia goela a baixo. Entretanto, nao estou aqui pra levantar a bandeira do “contrate um profissional pra decorar/projetar/construir sua casa”. Claro que a tarefa de humanizar um lar nao tem que necessariamente ser desempenhada por um profissional. Ateh conheco uma meia-duzia de pessoas que o fazem com maestria e por instinto.
Well, well, mas nao foi pra isso que vim aqui, ora bolas, eu ia apenas postar uns angulos do nosso pequeno e provisorio lar, e olha no que deu: bla bla bla 🙂
Bem, pra quem estava curioso pra ver nossa casinha, aqui vai um pedacinho dela, que apesar de nao poder ter as paredes pintadas ou furadas (ou demolidas, hahaha), estah bem aconchegante, com nossas coisinhas aqui e ali, dando um toque pessoal e permeando o ambiente com a nossa historia. Acho que por enquanto dah pro gasto, e apesar de ainda estar faltando uma coisa aqui, outra ali, it already feels like home 😉

A peca em ferro, que em Bloomington enfeitava nossa sala de jantar, acabou indo parar no micro hall de entrada (a porta que aparece na foto eh do coat closet. A de entrada fica em frente a esta). Pra demarcar o espaco, compramos esse tapete circular, que (pelamordedeus!), solta pelo pra caramba e eh super dificil de aspirar! Damn it!
O ottoman tambem veio de navio e serve pra hora de calcar/descalcar, jah que normalmente a gente nao anda de sapato pela casa.

Finalmente nossa estante foi preenchida: albuns, porta-retratos, CDs, DVDs, livros, lembrancas de viagens… pedacinhos da nossa vida.
Nosso tray, antes utilizado como um mini-bar, agora eh o aparador de chaves, correspondencia, carteira, celular… proximo a porta de entrada, coroado pelo wall sticker.
E olhem quem tambem veio: A ‘Otis’, nossa vaquinha da patinha quebrada (que ainda ha de ganhar uma botinha de gesso, hehehe).

Nas paredes, pra fazer uma graca, coloquei esse wall sticker que parece uma tatoo. Nao eh o ideal, mas deu uma personalizada na brancura sem sal. Ao fundo, o ‘mantel’ (nao sei o nome disso em portugues) da lareira tambem foi preenchido por livros, revistas, Adelaide & Chiquinho, Zulmira, Genaro e outros :). Coloquei tambem um espelho pra quebrar a monotonia (tambem sem usar prego, claro). Ateh a caixa do violao do Mauri virou parte da decoracao em conjunto com nosso bom e velho ‘bauzinho’

Na impossibilidade de colocar uma corzinha, nossa sala de jantar foi presenteada com uma combinacao das molduras que trouxemos de Bloomington, que ganharam fotos novas. Tive que retirar o vidro da maioria das molduras, jah que, na impossibilidade de prende-las a parede com pregos, tive que usar uma fita-velcro da 3M. Uma lastima! Volta e meia uma moldura cai no chao, especialmente nos dias que fazemos laundry, quando as paredes ficam umidas fazendo com que a cola descole 😐
A mesa de jantar, que nos meus planos iniciais seria branca laqueada, por engano acabou vindo preta, o que fez a paleta de cores e textura das cadeiras mudar completamente, mas acabou ficando bem bacana a combinacao da mesa em madeira com cadeiras em acrilico (transparente e preto). Deu uma equilibrada e nao ficou um ambiente pesado, que era meu medo, jah que o espaco eh relativamente pequeno. O tapete, na minha opiniao, foi fundamental pra juntar as pecas e criar o ambiente.

Aqui, um detalhe das flores tatuadas nas paredes, dando sequencia ao movimento iniciado em frente a porta de entrada, que vai terminar sangrando na janela da sala de jantar.
E olhem quem estah lah no fundo: a mesinha (o par, na realidade) de bamboo e ferro que, em Bloomington, rodou a casa inteira, agora ficam na sala de jantar pra dar suporte, se preciso for 😉

Nossa living area ganhou um brand new and colorful sofa :), afinal, em casa de Erica, cor eh fundamental :). Super confortavel e convidativo, nem preciso dizer que eh a peca central da casa, neh? Ha quem resista em ir pra cama a noite… Mas nao estou aqui pra dar nome a bois ;)As almofadas sao todas diferentes uma das outras em cores, formas e estilos, pra dar um ar despojado e quebrar o verdao e a “combinandice” das pecas do sofah.
O tapete eh novo (barato e vagabundo, mas ninguem nota) mas a cortina eh nossa velha de guerra.

Pra fechar, um dos agulos prediletos da area social da nossa pequena casa.
Acho que deu pra ter uma ideia, neh?

Em tempo: Tudo o que adquirimos (exceto eletronicos e eletro-domesticos) desde que chegamos nesta terra, veio da IKEA, primeiro porque inicialmente ficamos assustados com a previsao dos gastos e a IKEA parecia ser a opcao mais em conta pro momento, e depois porque na epoca nosso filho azucrinava tanto o juizo que nao havia a possibilidade de cogitar saltar de loja em loja a procura do sofa perfeito, da mesa dos sonhos, das cadeiras especificas…
Nunca havia entrado numa IKEA antes, mas aqui descobri que a loja tem solucoes pra todos os gostos e bolsos. Voce encontra um sofa basico por 200 dolares (ateh um mais elaborado por 3 mil) ou uma cadeira bacana por 600. Depende do quanto voce estah disposto a gastar. Agora, gaste voce 200 ou 3 mil num sofa, nao importa, voce eh quem vai montar. Mas tudo bem, apos 5 anos nos EUA aprendemos a fazer tudo nos mesmos 😉
Salve a IKEA, que vende do guardanapo ao sofa 🙂

azul, verde, vermelho

Back in Bloomington, nosso filhote tinha um quarto beeeem espacoso e um banheiro soh pra ele. Aqui a estoria eh outra e alem de termos somente um banheiro em casa, os quartos sao minimos, especialmente o dele.
Eu sou adepta da ideia de que quarto de crianca deve ser colorido, ter texturas diferentes de modo a estimular os sentidos, a criatividade e criar um ambiente alegre.
Quarto de bebe sao outros quinhentos. Nesse caso acho que tanto o monocromatico, o suave ou o vibrante tem seus lados positivos. Enfim, minha opiniao :).
O fato eh que decidi fazer do mini-quarto do pequeno um lugar festivo, que o fizesse se sentir numa dessas play areas, entao, ao contrario dos moveis branco e tabaco presentes em seu primeiro quarto, optei pelos da colecao Mammut da Ikea nas cores azul e verde. E como o carpete dos quartos eh bem clarinho, joquei um tapete vermelho, uma cortina tricolor, uma canopy imitanto uma mega folha sobre a cama, umas almofadas, um espelho de jacareh e o que restou ficou por conta dos brinquedos, que sao tantos que uma grande parte teve que ser escondida no armario, senao fica inviavel entrar no quarto. Se ao menos pudessemos ter prateleiras nas paredes, os brinquedos nao precisariam ficar malocados e eu nao precisaria trabalhar com o sistema rotativo de brinquedos… haja!

Aqui ainda falta vestir a parede com os quadrinhos que comprei tambem na Ikea. Mas primeiro preciso revelar as fotos. Quem sabe ateh o fim do mes fica pronto?!

Obviamente, antes de tirar as fotos eu dei uma geralzinha no quarto e maloquei ainda mais brinquedos. A situacao eh grave! O pior eh que o aniversario dele estah chegando =0|

Como o quarto eh minusculo, fica dificil ateh encontrar angulos pra fotografar. Simplesmente o afastamento nao eh suficiente! Por enquanto o tamanho da casa nao estah tao ruim, mas nao sei quanto tempo vou aguentar viver assim, enlatada, hehehe

vini ou vinny?

Quando nosso pequenino comecou a frequentar a creche lah em Bloomington, as ‘tias’ escreviam Vinny, ou Vinnie. Eu ateh pouco tempo insistia no ‘Vini’, porem tentando me adaptar a ideia do apelido na lingua inglesa, comecei a arriscar o ‘Vinny’ (fosse preenchendo ficha pras listas de espera, fosse aqui no blog), uma vez que daqui a pouco, quando se Deus quiser ele voltar a frequentar uma creche, serah este seu apelido escrito, jah que o nome mesmo eh melhor esquecer, porque o povo nao pronuncia direito de maneira nenhuma (em pensar que levei tanto tempo pra escolher um nome que soasse bem na lingua…). Mas confesso que me irrita um pouco escrever assim, afinal nada mais justo que o curto pra Vinicius seja Vini, nao eh verdade? Fazer o que? Adaptar. Ateh o dia que eu me irritar de verdade, desistir e estabelecer “Vini” e pronto!
Enquanto eu nao me irrito de verdade, aqui vao umas fotos do protagonista do post e da minha vida 🙂

Mr. Bigodao :X)


Fantasiado com os restos do wall sticker =P

Dick Vigarista fazendo: ‘ohhhhhhhhhhhh’

‘Salvador Daqui’, hehehe

Obedecendo aos comandos da “Bo on the go”

Tao penteadinho que nem parece o meu filho 🙂

final de semana (friozinho e) de comilanca

O circuito comilanca comecou ainda na sexta-feira quando o Nicolas e a Vivian vieram aqui e trouxeram pizza. Se a comilanca tivesse se resumido a pizza, tudo bem, normal, entretanto, como meu filhotinho tem se comportado direitinho, tive tempo para, durante o dia, preparar uns quitutes pra antes e depois da pizza. Tabua de queijos, pastinhas, crackers, saladinha verde com molho feito em casa (sempre) e uvas dulcissimas abriram o jantar. Pra sobremesa, um doce que ainda nao batizei mas eh basicamente assim: base de bolo de chocolate molhado no leite e vinho tinto, creme (preparado com leite condensado, creme de leite, gemas, amido de milho, essencia de baunilha e leite de vaca) e morangos e pessegos picadinhos. Claro que pra finalizar, na hora ainda teve uma coberturinha de chocolate quente 😉
Infelizmente e devido ao consumo de vinho, acabei esquecendo de tirar fotos do petit comite, que foi uma delicia, as usual… que puxa.
Nicolas e Vivian, nao me deixem esquecer de na proxima vez tirar fotos! 🙂

Um pouco antes das visitas chegarem

Finalmente, com pratos decentes (que vieram dos EUA) e nao aqueles branquinhos basicos do kit basiqueeeerrimo da Ikea

Humm, nao consegui tirar uma foto em que aparecessem as tres camadas da sobremesa, mas dah pra ter uma ideia, neh?

Jah no sabado, foi a vez da ‘tia K’ e do ‘ti’. Eles vieram pra cah pra fazermos um fondue e finalmente inagurarmos duas de nossas panelas de fondue. Uma de chocolate que ganhamos da Sunny, nossa amiga chinesa de Bloomington e outra que ganhamos de casamento, alias, acho que temos umas 4 ou 5!
Como sempre o encontro foi super divertido e regado a boas gargalhadas 🙂

Tio Ricardo (‘ti’, segundo Vinny) e filhotinho chilling no sofah 🙂

Backstage: fotos super espontaneas na cozinha 🙂

Tia ‘K’ cortando pao

Ops! Como aparentemente aqui nao vendem alcool no mercado (e tudo mais fecha as 6 pm), nao conseguimos usar a panelinha de fondue e no fim das contas tivemos que fritar a carne antes de levar a mesa.

Todos sentadinhos a mesa e famintos!

Nosso jantar (fake-foundue-dinner)

O fondue do jantar pode ateh ter sido fake, mas o da sobremesa nao foi nao! Fondue de chocolate (ao inves de conhaque, improvisei com vinho tinto e ficou bem gostoso!) e morangos, bananas e tangerinas: delicia!

O que eu sei eh que nao sobrou nadinha pra contar historia… quer dizer, sobraram as fotos 🙂

Gostaria de destacar que tanto na sexta quanto no sabado, meu filhotinho comportou-se feito um principe. Esse novo Vinicius eh tudibom! 🙂

jogando a dois

Eu e o Mauricio adoramos jogos. Cada qual tem seus prediletos, mas de um modo geral o importante eh brincar, nao importando qual eh o brinquedo (tah bom, tah bom, isso se aplica mais a ele do que a mim… em geral eh ele quem abre mao de jogar combate pra jogar palavras cruzadas :)).
Particularmente os jogos que mais gosto sao os do tipo que necessitam mais do que duas pessoas, geralmente no minimo quatro, como Pictionary, Taboo e outros do genero, onde ha mais interacao e gargalhadas. Entretanto como somos soh dois, o jeito eh partir pros jogos mais silenciosos.


Ontem por exemplo, jogamos palavras cruzadas (em ingles) e como voces podem ver na foto aqui em cima, alguem ganhou de lavada ainda no iniciozinho do jogo com um “fullness”, que deu direito ao valor da palavra triplicado e somado a 50 pontos extra (o que significou 83 pontos em uma soh jogada), jah que todas as pecas da vez foram utilizadas. Adivinhem quem foi o vitorioso, ou melhor, A vitoriosA? 🙂
Pena que nao tinha uma camera filmando a reacao do perdedor 🙂

Em tempo: Quando jogarmos Combate preciso ter certeza de que nada serah postado neste blog, hehehe

novos horizontes

Como nosso filhote estah numa nova fase e nos permite olhar pros lados e descobrir o que se passa ao nosso redor, vamos aos poucos descobrindo as belezas dessa terra.

Focando desta vez nas belezas gastronomicas, jah comemos em alguns bons restaurantes e agora descobrimos uma chocolateria, que apesar de ser de rede*, eh o que ha! San Churro eh uma chocolateria espanhola que, meu Deus do ceu, eh uma verdadeira tentacao. Os churros com cobertura de chocolate sao tao gostosos, que minha boca enche d’agua soh de lembrar. E como eu e Mauricio jah somos conhecidos por estragarmos tudo o que gostamos, comemos lah no sabado e no domingo, tah bom pra voces? 🙂 Pra mim tah otimo :). E digo mais, soh nao comi hoje novamente porque aqui em Brighton nao tem :).
Temos agora que nos aventurar pelos cafes aqui de Brighton e provar os doces LIN-DOS (que infelizmente custam os olhos da cara) que eles servem.
Outra meta eh comecar a provar a culinaria asiatica**, porque o que nao falta aqui eh restaurante indiano, chines, japones, coreano, tailandes… Pra voces terem uma ideia, sushi aqui eh vendido inteiro, mais parece um burrito. E o que nao falta eh fastfood chines/japones.
Ai, ai, vamos precisar de muito tempo pra provar de todas as delicias que esta terra tem a oferecer 🙂

*eh, eu tenho um certo preconceito com restaurantes, cafes e coisas do genero de rede, soh dou A+ pra lugares impares, hehe

** nao eh que essas cuisines sejam novidade pra gente, mas acredito que os restaurantes asiaticos daqui sejam mais originais do que aqueles que tinhamos em Bloomington, afinal, vai ter asiatico assim lah na China (ou no Japao, ou na Coreia…) 🙂

indo direto ao assunto

Dessa vez, sem rodeios vamos direto as fotos do fim de semana, que apesar do vento-ventania e do friozinho, foi lovely, as usual 🙂

a primavera estah fazendo toc-toc na porta 🙂

“azul e branco, da cor daquele ceu”

Praia vazia, num dia de pre-primavera

“Serah que do lado de lah tambem estah ventando?”

Preciso dizer que eu AMO essas casinhas??

O ‘homem-passaro’

O Vinny queria porque queria entrar nas casinhas. “Poh!”, gritava.

Chamando o amiguinho pra brincar

Mudando de ideia e correndo do amiguinho

O dono da bola ataca novamente

Com os oculos e chapeu da mamae

Agora, fazendo bico =^*

“Quem eh o bonitinho da mamae?” 🙂

Tenho que descobrir que lugar eh esse…

Andando por aih…

Pegando uns respinguinhos do chafariz

Cabelo, cabeleira, cabeludo, descabeladooooo

querendo se jogar no espelho d’agua do chafariz – e olha que nem calor estava

“olha pra foto, meu filho!”

tombadinho, imitando a mamae

Ele nao queria largar o leao, dragao (???) de jeito nenhum

Portal Chines no Chinatown (claro) em Melbourne

Fazendo bico e com a cabeleira ao vento

De manha cedo, ainda com carinha de sono, sorrindo pra camera. tao simpatico, neh? 🙂

Passeando no ‘bibi’ que ganhou neste fim de semana – claro, sem largar a casinha, nem os bonequinhos